Industria 4.0

JORNADA RUMO À INDÚSTRIA 4.0 E ÍNDICE DE MATURIDADE

A expressão Indústria 4.0 foi utilizada pela primeira vez na Feira de Hannover, Alemanha, para denominar um sistema produtivo em que equipamentos, instalações e pessoas estivessem conectados para atender os anseios de consumidores. Dessa forma seria criado um sistema ciber-físico capaz de produzir, no limite, um lote econômico de apenas uma unidade.

Ser competitivo é o ponto chave desse conceito. Isso é tão forte que o Fórum Econômico Mundial o incluiu na sua publicação The Global Competitiviness Report 2019 (http://www3.weforum.org/docs/WEF_TheGlobalCompetitivenessReport2019.pdf), e ajustou o rol de critérios de classificação de países para The Global Competitiviness Index 4.0

O Brasil também publicou, em 2017, o Plano de Manufatura Avançada (https://antigo.mctic.gov.br/mctic/export/sites/institucional/tecnologia/tecnologias_convergentes/arquivos/Cartilha-Plano-de-CTI_WEB.pdf), que analisa a situação do País e propõe ações para aumentar a sua competitividade.

Desenha-se nesse cenário um roteiro, que parte do correto entendimento das ações organizacionais para chegar ao desejado ponto de poder enfrentar, com vantagem, os principais concorrentes nacionais e internacionais. A esse processo deu-se o nome de Jornada Rumo à Indústria 4.0. Para identificar exatamente o ponto de partida, ou a situação atual da empresa, utiliza-se a ferramenta Índice de Maturidade, desenvolvida a partir de recomendações publicadas pela alemã ACATECH - Academia Nacional de Ciência e Engenharia (https://en.acatech.de/), representada na Figura 1. O Estágio Zero é desdobrado nas etapas mostradas na Figura 2.

Figura 1: A Jornada Rumo à Indústria 4.0 e os Estágios de Maturidade.

Fonte: Adaptado de VDI - Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha

Figura 2: Desdobramento das etapas a cumprir no Estágio Zero

O IMT propõe avaliar as operações de uma empresa para identificar o seu estágio de maturidade e desenhar a jornada a seguir. A Symnetics (www.symnetics.com.br) é a consultoria parceira nesse trabalho e aporta experiência, metodologia e visão estratégica na exploração de oportunidades inovadoras.

O principal resultado a obter é a redução de custos advindos de perdas e desperdícios e consequente geração de caixa que pode ser revertido em investimentos e consequente vantagem competitiva no mercado repleto de incertezas e turbulências. Trata-se, portanto, de um projeto que tem uma excelente relação custo/benefício.

Uma pergunta que sempre é formulada quando esse assunto é abordado em diversos eventos: por que começar? A resposta é: porque o futuro das organizações requer controle das atividades e recursos e quem não se preparar para ele poderá não sobreviver por muito tempo.


IMT - Centro de Pesquisas


Telefone: (11) 4239-3058 
Email: cp@maua.br 

Antonio Cabral: 11-9-9141-2149 / antonio.cabral@maua.br / acdcabral@gmail.com
Ari Costa: 11-9-9653-2568 / ari.costa@maua.br