A premiação foi na categoria "Parceria de órgãos públicos e iniciativa privada" e o objetivo é proporcionar melhores condições do ambiente urbano utilizado pela população do núcleo habitacional irregular

São Paulo, outubro de 2020 - Após rigorosos debates, estudos e avaliações, o Instituto Mauá de Tecnologia (IMT) foi um dos vencedores do Prêmio Selo de Mérito 2020 do ABC Habitação e Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano (FNSHDU), na categoria "Parceria de órgãos públicos e iniciativa privada", com o projeto Melhorias Ambientais e de Habitabilidade em Núcleos Irregulares, cujo objetivo é proporcionar melhores condições do ambiente urbano utilizado pela população do núcleo habitacional irregular, instalado na área conhecida como "Núcleo DER", de propriedade da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), em São Bernardo do Campo, em São Paulo.

A participação da Mauá ocorreu por meio do Centro de Pesquisas, que foi contratado, em 2019, pela Secretaria de Habitação de São Bernardo do Campo (SEHAB). O projeto mobilizou uma equipe formada por 24 pessoas, composta por professores, pesquisadores, consultores e alunos (as) dos cursos de Engenharia, Administração e Design, além de representantes de entidades estudantis internas como a Mauá Social e a colaboração efetiva da equipe da SEHAB. Esse projeto reforça a missão da Mauá de fazer com que profissionais, alunos e professores trabalhem juntos influenciando positivamente a sociedade.

"Além disso, o tema é muito importante por estar relacionado com a Habitação Social de Comunidades, destacando para um novo segmento de estudos e pesquisas aplicadas da Engenharia e Arquitetura de cunho social", diz o Prof. Eduardo Linzmayer, coordenador do projeto, professor e pesquisador do Instituto Mauá de Tecnologia.

Etapas

O projeto envolveu metodologias inovadoras, divididas em quatro etapas: realização de aerolevantamentos e escaneamento de todas as fachadas, utilizando-se drones e equipamento de escaneamento laser manual; identificações dos imóveis e moradias, mediante fixação de selos codificados; realização dos cadastramentos censitários dos moradores da comunidade com o auxílio de aplicativos online e utilização de smartphones.

"Na última e quarta etapa do projeto, foram processados todos os dados coletados em campo e a equipe observava a existência de algum equívoco no cadastro ou nas plantas. O produto final envolveu a elaboração de um Relatório Técnico Social, incluindo todos os dados desenvolvidos, links com documentos eletrônicos gerados no projeto e elaboração de cartilhas educativas escritas de maneira simples, entregues para aplicação na Comunidade. Vale lembrar que o projeto permitirá que a Mauá replique e reproduza as ações em outras regiões, favorecendo muitos habitantes em situações de fragilidade habitacional, social e de segurança", conclui Linzmayer.

Informações para a Imprensa
RPMA Comunicação - Assessoria de Imprensa do Instituto Mauá de Tecnologia
Rodrigo Santos (rodrigo.santos@rpmacomunicacao.com.br) (11) 9 9354-5230